O papel da ansiedade na disfunção sexual

ansiedade e disfunção sexual

Diversos fatores interferem negativamente na atividade sexual do homem, desencadeando a Disfunção Sexual (DS), que se caracteriza por perturbações relacionadas às alterações fisiológicas nas fases do ciclo de resposta sexual (desejo, excitação, ereção, orgasmo e resolução), ou sofrimento emocional e interpessoal por conta da sua baixa resposta sexual.

Embora a Disfunção Sexual (DS) possa ocorrer em qualquer uma dessas fases do ciclo de resposta sexual (desejo, excitação, ereção, orgasmo e resolução), os problemas são mais frequentes no processo de ereção, sendo comum um mesmo indivíduo apresentar DS em mais de uma fase do ciclo de resposta sexual.

As causas da DS podem envolver componentes biológicos e psicológicos, incluindo condições clínicas gerais (especialmente diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares) e neurológicas, medicações e condições psicológicas, entre as quais se destaca a ANSIEDADE.

QUADRO CLÍNICO E DIAGNÓSTICO DE ANSIEDADE

A ansiedade pode ser definida como sentimento de apreensão e medo caracterizado por sintomas físicos, psicológicos e cognitivos. No contexto de estresse ou de perigo, essas reações são naturais. No entanto, algumas pessoas se sentem extremamente ansiosas com as atividades cotidianas, o que pode resultar em sofrimento e prejuízo significativo dessas atividades.

Os sintomas mais comuns da ansiedade são: secura da boca, aumento de vigília ou estado de alerta, constrição respiratória, sudorese, arrepios, tremor, vômitos, palpitação, dores abdominais, entre outras alterações biológicas e bioquímicas.

Os transtornos de ansiedade são um grupo de entidades clínicas em que um nível excessivo de ansiedade é o sintoma comum. Esse grupo inclui o transtorno do pânico, a fobia específica e social, o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), o transtorno de estresse agudo e o transtorno de ansiedade generalizada (TAG).

Embora sejam categorias distintas, Disfunção sexual (DS) e ansiedade estão intimamente relacionadas e o diagnóstico de ambas é eminentemente clínico, dependendo principalmente da queixa do paciente. Outro ponto interessante é verificar se a ansiedade é causa ou sintoma da DS, pois ambas patologias se retroalimentam.

ANSIEDADE RELACIONADA À ATIVIDADE SEXUAL

A ansiedade é considerada a mais importante causa imediata da Disfunção Sexual (DS), principalmente nas fases de excitação e ejaculação precoce. Para pesquisadores, as dificuldades no funcionamento sexual seriam causadas por uma incapacidade do homem em captar corretamente os sinais eróticos que são necessários para a excitação. Essa incapacidade desencadearia grande ansiedade acerca do desempenho, provocando a mudança de atenção a fim de evitar o insucesso sexual. Essa distração, no entanto, prejudica o desempenho do espectador sexual.

Se o medo de um desempenho satisfatório na atividade sexual gera ansiedade, e consequentemente um desempenho ruim, também é possível que, na ausência de problemas sexuais específicos, altos níveis de ansiedade desencadeiem distrações cognitivas (preocupações não sexuais, obsessões, e hipervigilância e sensações corporais somáticas) que podem interferir na resposta sexual. Mesmo em mulheres sem DS, estudos demonstraram que distrações cognitivas reduzem a excitação tanto fisiológica quanto subjetiva aos estímulos eróticos.

Nos homens, a ansiedade tem sido considerada central para o desenvolvimento e manutenção da disfunção erétil (DE) e ejaculação precoce (EP). Acredita-se que, em estado de ansiedade a capacidade de controle da ejaculação seja reduzida.

Em uma pesquisa realizada pelos autores Dunn e cols, estima-se que 31% dos homens apresentem algum grau de DS, e desses 21% tinham ansiedade moderada ou grave. Os homens com ejaculação precoce tinham 2,5 mais chances de ter ansiedade grave.

A prevalência de transtornos de ansiedade varia de 2,5% a 37% em homens portadores de disfunção erétil (DE). Em pacientes com EP, estima-se que 25% deles tenham fobia social. Apesar da correlação entre EP e fobia social ser aceita, também há relação entre ejaculação retardada e fobia social.

Outro estudo encontrou grande prevalência do transtorno de pânico em pacientes afetados pela aversão sexual. A autora mostrou que 25% dos pacientes tinham transtorno de pânico e outros 25% tinham sintomas característicos da síndrome do pânico (sem os ataques de pânico) e sugeriu uma prevalência de 75% de DS em pacientes com transtorno de pânico.

Conforme se pode observar, alguns estudos relacionam DS com sintomas e estado de ansiedade em geral, enquanto outros relacionam as DS com transtornos de ansiedade específicos. De modo geral, as prevalências são elevadas, independentemente do tipo de ansiedade e de DS estudadas.

CHÁ DO AMOR KANNJIN

O Chá do Amor Kannjin é o único estimulante sexual natural que proporciona uma ereção segura e saudável em 40 minutos. Por ser uma opção recreativa e segura de promotor de ereção, este produto é utilizado por homens ansiosos que se sentem inseguros quanto ao seu desempenho sexual, além de garantir maior capacidade de captação dos sinais eróticos emitidos pela sua parceira.

Para ter os benefícios do Chá do Amor Kannjin, o mesmo deverá ser misturado em água e tomado de imediato 40 minutos antes da atividade sexual.

REFERÊNCIAS

1. Dunn KM, Croft PR, Hackett GI. Association of sexual problems with social, psychological, and physical problems in men and women: a cross sectional population survey. J Epidemiol Community Health. 1999;53(3):144-8.

2. Kaplan HS. Anxiety and sexual dysfunction. J Clin Psychiatry. 1988;49 Suppl:21

3. Bárbara BL, Carmita HNA. O papel da ansiedade na (dis)função sexual. Diagn Tratamento. 2013;18(2):94-8.

 

2 thoughts on “O papel da ansiedade na disfunção sexual

  1. fernando says:

    ate o momento n vi nenhuma analise de um problema que afeta muitas pessoas e que o cha do amor kannjin n resolve que é a anorgamia ou a dificuldade de obter orgasmo.espero um comentario acerca deste assunto se possivel.grato fernando

    • Cha do Amor says:

      A anorgasmia é uma dificuldade de se chegar ao orgasmo que persiste ou que é frequente, mesmo após correta e completa estimulação sexual. Normalmente esse transtorno é ocasionado por fatores emocionais, como: Desordens psicológicas em geral, Culpa e tabu atribuídos ao sexo, Exposição extrema a conteúdos pornográficos e explícitos, Desconhecimento do próprio corpo.

      Como tratamento, o mais adequado é você procurar um psicólogo ou psiquiatra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *